Pages

terça-feira, 23 de junho de 2009

Animação (parte 2) - Animação 2d

Se você não tem um computador potente para rodar softwars 3d pesados, nem uma camêra digital para fotografar bonecos em movimento, mas quer de qualquer forma entrar no mundo das animações, te aconselho se enveredar pelos caminhos dos desenhos animados.
Existe a técnica de fazer desenhos pelo computador, mas se você não tem uma mesa digitalizadora, é melhor ficarmos mesmo no lápis e papel. Vamos lá, ao mesmo tempo que entendemos como essa engrenagem funciona vamos aprender a fazer um desenho animado. Você nem precisa saber desenhar direito, pode usar aqueles bonequinhos de cabeção e corpo de palito mesmo.

1° passo=> Construindo uma mesa de luz.
Como todo projeto que dá aquela vontade de iniciar, e não temos material, vamos ter que improvisar. Uma mesa de luz (como mostra a imagem) serve para podermos ver o frame anterior que fizemos e assim fazermos os movimentos dos personagens. Colocamos o papel com o ultimo desenho feito e por cima o papel em branco para fazer o próximo movimento.
Mesas de luz podem custar em torno de 800 reais - mas se quiser uma que custe de 20 à 0 reais, continue lendo.

Como fazer=> Eu gosto muito de improvisar nos meus projetos, isso dá mais gosto pois todo o material que uso foi eu quem fiz. Vou dizer o que eu usei para fazer a minha humilde mesa de luz, e então você poderá ter uma luz para fazer da sua forma. (trocadilho terrível)
Eu usei 3 coisas principais: Um pedaço de vidro da vitrine que a minha mãe desmontou e não queria mais, a caixa empoeirada do DVD e os dois suportes de isopor que vieram dentro da caixa. Medi o tamanho do papel A4 e fiz um buraco proporcional na caixa. Pus o vidro tampando o buraco pela parte de dentro e coloquei os dois suportes de isopor debaixo dele de uma forma matematicamente calculada para o vidro não se mexer. Daí foi só ligar uma lâmpada fluorescente à uma extensão elétrica e pôr dentro da caixa. Cuidado com aquelas lâmpadas incandescentes, eu não me responsabilizo se o vidro explodir enquanto você desenha ou a caixa misteriosamente pegar fogo. No total forma uma buginganga, mas que serve muito bem.

2º Passo => Com todos os frames completos você vai precisar de uma scanner. Se tiver uma camera digital ou uma web cam tambem serve. Passe todas as imagens para o computador e depois baixe o programa Monkey Jam. Vá em "Files>>Import>>>Images". Depois de todas as imagens carregadas é só transformar em vídeo: "Files>>Export AVI". Agora é só esperar e assistir o video.








Animação (parte 1)

     Neste blog eu sempre gosto de falar um pouco de cada coisa. Agora vamos falar sobre animação. Sinceramente, o que me levou a escrever este artigo foi a grande parte as pessoas que conheço não fazerem ideia do que é uma animação 3d, e outros, apesar de saberem diferenciar, não tem ciência de como é produzido um desenho animado.
     Se você não sabe o que é essa coisa de 3d pode ter certeza que já assistiu na televisão. Bons exemplos são os filmes: Shrek, Procurando Nemo, e Os Sem Floresta. A diferença o próprio nome já diz. Esse tipo técnica é trabalhada em 3 dimensões - altura, largura e profundidade. É como uma escultura, só que dentro do computador, digital. O artista, por meio de um desenho ou uma fotografia como referência, modela um objeto que irá animar. Visto que a técnica envolve simulação de física e iluminação real a animação 3d tem mais qualidade do que um desenho animado.
     Um desenho animado - animação 2d - pode ser realizado diretamente pelo computador, como o desenho "Mucha Lucha", ou à mão, como a maioria dos desenhos que passam toda a manhã na globo. Na verdade a técnica é mais simples do que a 3d, e requer muito mais paciência, pois os resultados demoram para serem percebidos. O artista desenha todos os frames (quadros) que a animação terá - os profissionais usam 24 para um segundo, os mais "apressadinhos" usam 12. Após todos os quadros prontos é só juntar tudo no computador, e voialá, o desenho animado está pronto. Só o que eu acho estressante é ter que colorir cada frame. Imagina depois de você ter desenhado mais de 14 mil folhas ( o que vai resultar - profissionalmente- em 10 minutos de animação) ter que colorir detalhadamente todas elas. Mas para quem gosta dessa arte, pode ter certeza, é um prazer.
     O mundo desse tipo de entrertenimento não se limita a apenas essas duas formas de animar. Há várias outras técnicas, como stop motion, mas isso já é outra coisa que foge totalmente do nosso rumo.
Nos próximos artigos aprenderemos como fazer uma animação 2d, e como entrar no fantástico mundo 3d. Até lá

Cena 2d



Cena 3d

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Elas são de morte

     "Elas são de morte", este é o título da coleção de romances policiais escritos por mulheres brasileiras. Normalmente quando pensamos em escritores brasileiros apenas fazemos conexão aos títulos citados nos vestibulares.
     Confesso que antes nem ao menos imagina que o Brasil também produzisse romances policiais. Depois de uma rápida pesquisa minha opinião mudou. Há livros ótimos escritos por brasileiros. Para você fazer o teste, vá até o submarino.com.br na seção de escritores brasileiros e romances policiais. Haverá uma vasta lista de livros superinteressantes. E se você não está muito acostumado a usar o submarino para pesquisar livros, pode usar o google, com certeza a lista terá bem maior.
     Para uma melhor consulta de todos os títulos dessa série visite o site da editora:
http://www.rocco.com.br/ElasSaoDeMorte/osPrimeirosTitulos_frame.asp




Vende-se vestido de noiva - Denise Assis foi quem idealizou a série, veja no site da editora as entrevistas com as escritoras









sexta-feira, 22 de maio de 2009

O Bispo Ladrão da Televisão





Poucos se atrevem a usar sua liberdade de expressão quando é inconveniente aos ricos e poderosos - talvez porque quando se faz isso esses ricos e poderosos dão seu jeito para "calar" quem não o convém.
Eu agora faço parte da minoria, a chamada idiota minoria que põe a cabeça na forca para dizer a verdade. Mas não me preocupo tanto, tenho quase certeza que os culpados não lerão este blog.
Então vamos lá. O assunto é o seguinte: O bispo Macêdo, dono da rede record da rede família, está consentindo com um verdadeiro assalto aos telespectadores. Não sou mais um rival da igreja Universal do Reino de Deus, não quero que você, leitor, seja. Apenas vou apresentar fatos e tirará suas próprias conclusões.

Em um desses dias de chuva, que tanto estão ocorrendo aqui no nordeste, resolvi ligar a Tv. Mudei de canal até cair no 23 - rede família aqui em aracaju. Senti pena de uma mulher que ficava implorando para alguém ligar e ganhar R$500 , até que o prêmio aumentou para R$ 1500. Bastava achar quatro palavras em um caça-palavras. Cinco minutos desse desespero dela me convenceram a ligar, o que eu tinha a perder?
Liguei e fiquei tentando escolher uma das opções que o atendimento eletrônico me dava. Desliguei e liguei outra vez, não consegui falar com a apresentadora. Fui direcionado para um quiz acumulador de pontos - que nada tinha a ver com estar no ar. O que isso tem a ver com roubo? Esperem para ver.
Desiti, dei-me por vencido. No outro dia, porem, olha só o que eu vejo por acaso no mesmo canal: A mesma mulher, fazendo o mesmo lenga-lenga de imploração.... Mas espera aí! É o mesmo programa de ontem! Ou seja, não tem como alguem ligar e ganhar dinheiro em um programa reprisado. E assim foi, por toda a semana o programa passava sem ninguem ligar - nem sempre sendo reprisado. Convenhamos, se ninguem liga a produção tiraria aquilo do ar.
E assim é continuamente. Pessoas ligando, onde a emissora ganha dinheiro devido a acordos com companhias telefônicas, e o Edir Macêdo pondo o dinheiro no bolso e dizendo aquela conhecida frase de antigos deputados: "Eu não vi nada, eu não sei de nada"

AH! E o nome do programa é Alô Prêmio

quinta-feira, 21 de maio de 2009

As Garôas Nordestinas

Charge por  Sebastião Marques




   Até pouco tempo pensávamos que cheias eram apenas privilégio para sulistas, e as secas aperrinhamento para os nordestinos
   Mas agora as coisas não vão tão ruins assim aqui no nordeste. Deus agraciou os sofridos nordestinos, depois de tanto o chatear com o mesmo assunto nas orações: "Que caia um toró danado". 
   Os pedidos foram atendidos. Porém os matutos do sertão não cogitavam que suas rezas já se acumulavam em grandes quantidades, até porque isso é confirmado se fizermos uma conta matematicamente correta criada pelos japoneses de proveta americanos estudantes da Havard. Vejamos:

   Os matutos sertanejos oram  3x ao dia: Ao se levantar, ao se deitar e antes de ir ao banheiro (isso ocorre por causa da falta de água frequente, ocasionando diarréia e prisão de ventre - tudo ao mesmo tempo).

Então fazemos:

O => Halo (unidade da oração - aquele troço que fica na cabeça dos santos)
3 => Número de orações diárias
365=> Dias dos anos - sem ser bissexto

3O x 365 =
 1.095 orações é o que faz um matuto ao ano.

   Agora multiplique pela população média do sertão (1000 habitantes) e depois por 10 anos, a última vez que choveu por lá. O resultado é a quantidade de chuva que agora cai no nordeste.

   Assim, espero que com essa explicação exatamente científica, todos tenham entendido os motivos das atuais enchentes nordestinas. Agora mandem ver na prova de história, ops.... Geografia.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Anjos e Demônios




Anteriormente havia postado um texto à respeito do livro que li do escritor Dan Brown, Anjos e Demônios. Agora venho para dar a ótima notícia que a estréia da versão para cinema será dia 15/05. Quem tenta comprar um ingresso online, como eu, terá que realmente se aventurar, pois a maioria dos sites de venda de ingressos está realmente super-lotados.

E é isso que Um Blog Tem de Melhor

   
   Pessoal, este post é apenas uma nota rápida. Vejo que ultimamente há vários comentários em meus novos posts - em apenas 2, se nao me engano. Porem, nenhum desses se tratam do que escrevi, assim cheguei a uma conclusão: Minha escrita e idéias são péssimas. E assim agora desafio a responder quem for capaz: Realmente o que veem do meu blog? Pelo menos desta vez estão sendo forçados a comentar sobre o assunto. 

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Vida Mole

Este texto foi recebido por e-mail, enviado por camila pereira. milapereira@gmail.com


Alguém acorda no Brasil. Vai ao banheiro e escova seus dentes com uma escova de dentes que ganhou na internet. A pasta de dente e o sabonete no banheiro também vieram de graça pela web. Então ele se dirige a cozinha e faz seu café. O pó veio de Minas Gerais, amostra grátis enviada pela empresa. Parece impossível viver assim?
Agora não.Sempre foi uma prática das empresas fornecerem amostras grátis de seus produtos, para que o consumidor conheça sua qualidade. Agora, com a web, as empresas economizam na divulgação em stands, fornecem as amostras grátis diretamente em seu site. O consumidor acessa o site, solicita a amostra e ela é enviada para a casa dele, sem custo algum. Parece impossível que o carteiro te entregue diariamente produtos grátis, mas não é.

O site www.amostrasgratis.org se especializou nisso. A equipe de redatores do site procura na web as empresas, até mesmo internacionais, que enviam seus produtos. Depois, eles postam no site o link, informam qual é o produto, para que serve, falam sobre a empresa e pronto, os leitores dispõem de uma lista atualmente com quase 500 links diferentes para pedir o que mais gostar. E qualquer um pode acessar o site. Logo que você entra, um site cinza e lilás aparece e logo abaixo os posts mais recentes. Não precisa se cadastrar, não é um forum.

Os webpedintes também mostram consciência social


O site recomenda que só deve ser pedido aquilo que for realmente interessante ao consumidor. Nada de sair pedindo tudo no site só para entulhar a casa de bugigangas. Um exemplo? O site atualmente tem um link sobre um medidor digital de glicose, enviado pela Bayer. A coisa cresceu: além de amostras grátis, o site também informa sobre brindes grátis que as empresas estão enviando: a Bayer envia o medidor de glicose, a Editora Abril envia as revistas Veja e Caras. Existem também calculadores, pen-drives, camisinhas, CDs, DVDs... um universo de coisas. Vale a visita.
Descobrimos também que na Via6 e no Orkut existem comunidades sobre o assunto. Visite os sites, faça uma busca pela palavra "grátis" e descubra esse novo mundo da web

O Diálogo de Si Mesmo - Parte II

− Bem senhor quatro, - dizia a alta voz do moderador central – gostaríamos de ouvi-lo. Por favor, comece.

− Obrigado. – Iniciou - Digo que estamos em uma prisão não só porque, com todo o respeito, estamos confinados no corpo do moderador central. Mas todos nós, que em conjunto formamos o moderador, e logo assim também ele e todas as outras pessoas compõem a grande prisão universal. Não me digam senhores que nunca sentiram uma sensação de compressão, onde sentiam necessidade de se “esticarem”, um estiramento além de se espreguiçar ou de fazer qualquer tipo de alongamento. Aquele sentimento de ir além e não poder, de pular e não subir, o sentimento de querer saber o que vai acontecer... mas não poder, ou de não ter feito algo acontecer por não ter tido forças suficientes.

− Porem, tais situações não são surpreendentes, − continuou – pois se estamos em uma prisão o que mais esperarmos além do pão de cada dia, um lugar para descansar e despejar os nauseantes fluidos do nosso corpo sem que eles nos incomodem posteriormente? A prisão nos força o contentamento e a suposta satisfação de viver bem quando compramos uma nova “cela”, com um perímetro maior, janelas de vidro à prova de fugas e com presos que nos sirvam. Mesmo que tenhamos tudo o que poucos têm, é inevitável, prezados senhores, que estamos e sempre estaremos em uma prisão.

− Senhor quatro. – intervém o senhor dois − O que seria, ou o que define então os limites desta “prisão”?

− Simplesmente no nosso caso são os limites da consciência do senhor ao qual habitamos, até onde ele pode enxergar e sentir, saber ou nos deixar ir. Já no caso do conjunto comunitário de nossa espécie, que formam os seres humanos, possuem limites não tão diferentes de nós em forma unitária. Essa linha demarcatória compõe-se das suas intenções, sabedoria e conhecimento. Além de limites impostos pela própria natureza compressora. O que é a vida para eles se não um objetivo mal posto entre fugir do cotidiano e esperar o fado proposto?

Com o termino da pronunciação do senhor quatro, o moderador central intervém:

− Obrigado senhor quatro, guardaremos as suas palavras. Seguindo a sequência, que se levante o senhor um.

O senhor um, todo empolgado, se levanta e inicia a sua pronunciação।

(continua...

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Uma Super Missão





Todos nós sabemos daquela fama do atendimento das operadoras de celular। E agora com todo esse avanço tecnologico criaram até robozinho de atendimento automático, que dizem falicitar o atendimento.

Um dia como um desses qualquer, com sol e tudo mais, recibi a dificil missão de cancelar um plano de ligação। Para criar poder criar inspiração assisti algumas das aventuras do argente secreto Itan Hunt, em “Missão Impossível”. Daí fui à luta.

A princípio foi tudo muito fácil, bastou digitar o numero, ou teclar, tanto faz. Tomei um susto! Fiquei surpreso de a ligação ter continuado até depois do terceiro toque, e para maior surpresa fui atendido. O robozinho – ou a robô fêmea – disse:

- Blá, blá, blá, blá... Digite blá. Ou se for blá espere.

Visto que eu queria a segunda blá opção esperei. Me animei todo, confesso. A voz muito bela por sinal, me deu algumas opções para escolha, e depois pediu para que eu dissesse o que eu queria. Acho que aquela robô tinha algum retardamento nas fiações mentais, ou era surda, pois quase sempre não entendia o significado da simples frase: “Falar com o atendente”

Depois de muita, realmente muita, persistencia e “s-o-l-e-t-r-a-ç-ã-o”, consegui। Consegui?! Que nada. Ela me deu outras opções, dizendo que depois iria me passar para um atendente. Escolhi a primeira. Ela disse debilmente:

- Ah, isso eu posso ajudar...

E me explicou tudo o que eu não queria. Voltei mais vezes e escolhi outras opções, e logo percebi que nunca conseguiria cumprir com tal ilustríssima missão. Liguei vez após vez, e só fiz isso porque a super-robô-de-super-atendimento-hiper-avançado, com toda a sua má educação robótica, desligava em minha bela feição – ou seja, minha cara

É... visto isso tive que me contentar. Nem o Itan Hunt, nem o James Bond conseguiram me aconselhar corretamente। Começo a perceber que “falar com o atendente” é um missão realmente impossível.

domingo, 19 de abril de 2009

O Diálogo de Si Mesmo (parteI)

O fim de tarde era tranqüilo. A atmosfera leve, e a brisa fresca que dava a impressão da temperatura ser mais baixa do que era, tornava o ambiente inconfundivelmente pacífico. O sol batendo no horizonte espalhando uma luz alaranjada em torno de todo o parque revelava a corrida das incansáveis crianças, a conversa das mães sentadas nos bancos, e a grama verde, porém agora possuindo um dégradé entre o esverdeado e o laranja solar.
“Tudo isso é tão belo... Mas por quê? Por que uma flor no ápice de sua vivacidade é tão inspiradora, e o seu oposto desprezado? Ou o aroma das rosas tão buscado, e o mau cheiro repulsivo?” Todas essas questões surgiam de um homem; alguém anônimo sentado em um dos bancos entre o lago e as árvores. Em seus pensamentos profundos discutia consigo mesmo; sim, isso mesmo, dentro de si tentava encontrar a resposta, semelhante a um autodidata que procura em algum lugar o aprendizado.
Mas como dizia; a sua discussão parecia produzir frutos, portanto apenas parecia. O seu corpo não era mais o seu corpo, era uma sala, um salão mal iluminado com quatro senhores, não tão senhores assim. Cada um com uma opinião diferente, mas todos com algo em comum: não conseguiam concluir as suas idéias sem ao menos se contradizer uma vez.
O primeiro dizia que o mundo não é o que vemos, e precisamos nos contentar com a nossa situação. O segundo dizia que o mundo não é o que vemos, não podemos fazer nada para mudar isso, mas se acomodar com tal coisa é um grande erro. O terceiro ainda ia além. Mesmo não acreditando na predestinação afirmava que somos programados para fazer o que fazemos. Por fim, o quarto, com toda veemência afirmava: “Estamos em uma prisão!”
Como todos eram homens extremamente cultos, o que precisavam prevalecer eram as boas maneiras e a compreensão. Com o objetivo de aprender um com o ponto de vista do outro, achou-se justo que a vez de cada um se expressar fosse tirada na sorte. A ordem ficou a seguinte: Primeiro o senhor quatro, segundo o senhor um, terceiro o senhor dois e quarto o senhor três.

(Continua...

sábado, 28 de março de 2009

A HORA DO PLANETA, HOJE - PARTICIPE


domingo, 15 de março de 2009

***

Sei que estão aí.
Consigo sentir a sua presença.
Sei que estão com medo.
Estão com medo de nós.
Estão com medo da mudança.

Não conheço o futuro.
Não vim aqui para lhes dizer como isto vai acabar.
Vim aqui para lhes dizer como vai começar.

Vou desligar este telefone.
E mostrar a estas pessoas o que não querem que elas vejam.
Vou mostrar-lhes um mundo sem vocês.

Um mundo sem regras nem controles,
sem fronteiras ou limites.
Um mundo onde qualquer coisa é possível.

O nosso caminho depois…
… é uma opção que fica para vocês.

                                                                                                                                               (Neo)

Uma fonte inextinguível de Dinheiro


   O maior centro de pesquisas do mundo, o CERN (Conseil Européen  pour la Recherche Nucléare –Conselho Europeu para Pesquisas Nucleares)há alguns meses supriu os jornais com uma notíciaimpactante: A construção de um acelerador de partículas – um tubo com exatos 27 quilômetrosde extensão , estendendo-se do prédio do CERN na Suíça, até à França, e voltando ao seu ponto de origem; formando uma perfeita circunferência  de 8 km de diâmetro. O acelerador de partículas, conhecido também como “Grande Colisor de Hádrons”, é capaz de acelerar partículasatômicas em velocidades próximas à velocidade da luz, 300.000 km/s. Porém, o grande temor de alguns estudiosos é que o funcionamento deste aparelho crie um grande buraco negro que ponha termo a toda humanidade.

   Por trás de muitas especulações e avanços científicos, duas questões tende a embrenhar-se em tão emaranhadas cordas da produtividade da ciência moderna: Quanto tudo isso custa ao governo, ou seja, ao bolso dos que pagam impostos? E, será que todas as custosas pesquisas científicas são realmente necessárias?

   Os Estados Unidos, que possui uma grande fama de conceder grandes verbas a pesquisas científicas, contribuiu para um projeto anterior ao colisor de hádrons europeu. Chamava-se SCS(Super Colisor Supercondutor). Porém, após o investimento de 2 bilhões de dólares, o projetofoi cancelado. Enquanto isso, a empresa estatal de administração do espaço aéreo e sideral americano, a NASA (National Aeronautics and Space Administration), gasta bilhões em seusastronômicos fracassos. Chegando a absorver, em 2005, 100 bilhões de dólares dos cofres públicos para a construção de uma estação espacial. Nota: Calculava-se que o custo total seria de 40 bilhões de dólares - Sendo que os 100 bilhões não foi ao menos suficiente para concluir metade da construção. Situações como essas não estão sendo exceções no grande peso nas costas dos Estados Unidos, a NASA.

   Estes são apenas alguns dos vívidos exemplos da má distribuição de verbas que ocorre em todo o mundo. No exato momento em que países desenvolvidos esbanjam bilhões para apenas saber se em marte habita alguma forma de vida microscópica, mais de 863 milhões de pessoas desnutridas são esquecidas aqui, no planeta terra. E enquanto políticos brasileiros exigem uma completa renovação de seus móveis – sem contar que possuem salários exorbitantes e isenção de todos os impostos, estudantes são obrigados a se contentar com a refeição inválida das escolas públicas. Depois de 120 anos de põe-e-tira presidente, sinto-me incapaz de dizer que algum humano poderá ter sucesso em governar outro humano.

   Fico meditando então sobre o verdadeiro significado da palavra “liderança”. Provavelmente devo estar errado em pensar que liderança é sinônimo de: guiar, orientar, conduzir, dirigir. Ou talvez mudaram o significado desta palavra, e o meu dicionário é que está desatualizado Porém, não maltrate a sua consciência por ficar indignado com a situação mundial que foi relatada. Este é apenas mais um artigo de jornal que será esquecido ao lermos a edição de amanhã.  

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

S/T

Texto por Deiserrê Ramos

Você cresce. Não tem mais bochechas fofas, não é mais a queridinha da vovó, não é mais a princesinha da mamãe e até o pobre do bicho papão te abandona. Você perde os amigos imaginários, não vive mais cercada de pessoas querendo te mimar e fazer suas vontades. Você não pode mais simplesmente chorar pra não ir à escola, não pode mais morder os professores quando se irrita e nem ser mal educada e der desculpas de que é muito criança pra entender que certas palavras magoam. Ninguém te põe pra dormir contando as historinhas preferidas. Você perde todas as regalias e passa a ser responsável pelo que cativou. Você não brinca mais de boneca, você não têm mais elas pra destruir e pintar cabelos. Todos os seus lápis de cera e brinquedos sumiram e deram lugar a grandes e grossos livros! Você cresce você aprende, você erra você ganha.

 

 

Ah, o natal...




  Esta será uma nota rápida. Serei direto.
   
   Quantos hoje sabe que Jesus não nasceu no natal? Você é um destes que não sabe? Então surpreenda-se, pois conforme o que diz Lucas capítulo 2 Jesus nasceu em época de verão, que por acaso 25 de dezembro é verão no Brasil mas inverno onde Jesus nasceu(confirme isso no calendário Judaico. Imagem). Como pode ser tirada essa conclusão? Simples. Porque os pastores de ovelhas estavam ao ar livre, e no inverno eles não fariam isso. Na verdade o dia 25 de Dezembro era para os gregos o dia da adoração ao deus sol, o dia do sol invicto. Assim, Cosntantino, o fundador da igreja católica, que nem mesmo seguia os seus dogmas e virou cristão só depois à sua morte, converteu essa festa pagã em uma festa cristã. Não me surpreende neste dia ver mais pessoas se lembrarem mais de Noel que Jesus.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

O Que é Arte?

 
O Que é Arte?

Foi essa a questão levantada no filme "O sorriso de Monalisa"(Mona Lisa Smile).  E até certo tempo, antes mesmo de assistir o filme, fazia esta pergunta a mim mesmo. Só que o problema é que poucos valorizam as artes plásticas, então se você não gosta muito de arte talvez seja um pouco difícil para ler este artigo, mas pode tornar-se mais fácil se nós enxergarmos a arte com outros olhos, tudo bem?

   Até a época em que o filme é retratado, arte eram apenas coisas "bonitas", como as obras de Michelangelo e Leonardo Da Vinci. Tudo bem que eles tinham um enorme talento, e que só encara a arte abstrata as pessoas que não são bem sucedidas no realismo. Mas se pergunte, realmente se pergunte e responda: O que é arte para mim? Bem, eu fiz essa pergunta a meu irmão e ele disse que todo trabalho é uma arte. Já que você já deu a sua opinião, e meu irmão a dele, eu darei a minha. Arte, para mim, é a expressão de sentimentos por meio de alguma obra, e que essa obra não poderia ser realizada igualmente por mais ninguém além daquele que a criou, e esta mesma não poderia ser reproduzida, pois arte é única. Por isso, ao meu ponto de vista, qualquer tipo de trabalhador não poderia ser considerado um artista. 

  Voltando ao filme, teve uma parte que notei que é realmente semelhante a vida real. Para quem o assistiu pode lembrar-se da parte em que a aluna, Betty Warren (Kirsten Dunst ), fala que a pintura que está no slide (Carcaça) não é arte; e sintetizando, ela diz que para ser arteprecisa a "pessoa certa" dizer que é. Ela se deixava ser controlada, precisava alguém com muita influencia na sociedade para dizer o que ela devia pensar.

Então fica aí para que pensemos: Continuaremos deixando o Brasil ser o país da Burrologia Avançada? A única maneira de crescermos é nos educando, no sentido da escolaridade e também em sentido artístico, pois a arte é sublime e poderosa fazendo com que vejamos mais, mesmo olhando tão pouco.


         

                                                                                                                                                                                                                                                                         

 

Pintura realizada por Cléber Tintiliano, 2006 (esquerda)

                                             Carcaça, de chaim Soutine, 1925 (direita)