Pages

sábado, 15 de novembro de 2008

Sonhos

Outra poesia encontrada entre as aranhas e baratas do tempo:

Já sonhei com uma vida justa,

Sem iniqüidade, sem indolência,

Sem precocidade.

Mas é um sonho.

 

Sonhos não mudam o mundo.

Sonhos não dizem o futuro.

Sonhos não viram realidade.

 

Mesmo assim, nocivamente sonho.

Apenas para estragar a minha vida.

Desligo-me da realidade

Esquecendo de tudo.

 

Mas como sempre,

Volto a mim.

A utopia se desvanece,

E vejo então que tudo está pior que antes.

 

A realidade um dia acabará, eu sei.

Mas por enquanto vivo nela,

E guardo a minha vida de sonho

Que ficará criando poeira até eu ressuscitar.

                                                                                             (leandro campos)

 

Nenhum comentário: