Pages

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Exercícios



terça-feira, 18 de outubro de 2011

O Homem Que Não Sabia Sonhar

Primeiras quatro páginas de um conto que estou pensando se publico em papel ou jogo na internet. Acho que quando terminar de ilustrar os três roteiros que fazem parte dos contos eu determino isso. A quarta página não dá para ler por aqui. Salve no seu pc e dê um zoom.



domingo, 28 de agosto de 2011

HQ Festival

Próximo mês, um grande festival de quadrinhos aqui em Sergipe. Compareça.:D



quarta-feira, 6 de julho de 2011

Idéias Pre-Concebidas

Essa semana começou o meu curso de HQ, que por sinal tem ótimos professores. Alguns até trabalhando internacionalmente, olha só que legal. Ontem, terça, foi um dia de aula, e um fato na volta para casa me chamou atenção.

Era noite e, no ônibus, vinham dezenas de pessoas voltando do trabalho e colégio de turma noturna. Eu estava lá, em pé dentre todas estas pessoas. Subiram então no ônibus duas mulheres que fazem curso técnico de enfermagem - alguns dizem que essa é a pior "raça" que existe, já eu nao tenho preconceito nenhum, normal. Uma dessas mulheres começou a comentar sobre o curso, e conversa vai, conversa vem, ela mencionou alguma outra pessoa deste curso, que não estava presente no ônibus, dizendo que não ia com a cara dela desde o primeiro dia que a viu, e não teria nada nem ninguém que mudasse sua opinião.

Essa foi a frase certa para, naquele exato momento, eu começar a meditar sobre o que escutei. E não é, afinal, que aquela mulher era uma pessoa cheia de preconceito? Nunca havia parado para pensar como tantas pessoas carregam consigo alguma espécie de preconceito e discriminação. Sempre que pensamos nessas duas palavras, preconceito e discriminação, ligamos a idéia de cor da pele, nacionalidade, opção sexual, religião, e afins. Porem a mais comum de todas é a antipatia gratuita. Quantas vezes nós mesmo olhamos para uma pessoa, sem ao menos conhecê-la, e a julgamos com antipatia. Claro, claro, não há nada de errado nisso. O problema começa a aparecer quando não damos uma chance para que aquela pessoa prove o contrário.

Daí eu me pergunto: "Mas o que há de errado no preconceito?" Afinal de contas, enquanto eu nao estiver maltratando ninguém não tem nada de errado. Mas pense melhor nisso, pois este pensamento estará criando uma desunião na sua sociedade, e ainda pior, criando um ninho na sua mente para uma espécie pior de preconceito que possa começar a surgir em seus pensamentos, mais cedo ou mais tarde estará achando algo brutal totalmente normal.

Além do mais, preconceito é coisa de gente com mente fechada e retrógrada. Nada pior que alguem dessa estirpe. Contra essas sim tenho um conceito. E fiquem com o crítico vídeo do Felipe Neto. Cai como uma luva nessa questão.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Rio - O Filme


Neste exato momento acabo de assistir o filme homônimo deste post. Confesso que foi uma bela animação. Engraçado, envolvente a ponto de arrancar belas risadas.

Um fato, porém, não me deixou feliz. Na verdade foi um fato ao qual estava preparado desde o dia em que assisti o trailler do filme pela primeira vez. O que esta bela longa metragem reflete em seu roteiro é o que a maioria das pessoas lá fora pensam de nós, os norte americanos principalmente: O Brasil é feito de grosso mato, favelas e muito samba. Nada mais. Apesar de um brasileiro ter dirigido o filme e outro ter dublado um dos personagens, a roteirista deu todo aquele charme da visão extrageira a ele.

Essa visão não é nem um pouco nova, tanto que Sylvester Stallone deixou bem claro quando disse: “Você pode explodir o país inteiro e eles vão dizer ‘obrigado, e aqui está um macaco para você levar de volta para casa’.” Macaco? De onde o cara tirou essa idéia? Eu nunca vi um macaco de perto em toda a minha vida. No maximo um mico, morto eletrocutado em um fio de eletricidade do poste em um brabo interior de Sergipe. Mas isso não vem ao caso. O problema na verdade não está neles, os extrangeiros. Nem está o problemas inteiramente em nós, os brasileiros. O problema está nas produtoras de filmes brasileira que quando vão exportar um filme só mostram aqueles que destacam favela e mato, como no caso de "Cidade de Deus", "Tropa de Elite" e "Tainá". Por que não dão destaque àqueles filmes mais comuns como "A Mulher Invisível" e "Muito Gelo Para Dois Dedos D'agua"? Aí nesta parte realmente o problema está lá fora, e a resposta é: Porque eles não se interessam. Daí eles apelam para as outras coisas qual já discutimos.

No final das contas, o pensamento que eles têm de nós - este qual passamos para eles - e junto ao preconceito deles contra a América Latina é um prato cheio para uma bela rotulação preconceituosa e generalista. Se um dia isso vai mudar? Só quando o Brasil entrar na lista dos países desenvolvidos ou virar potência mundial. Quando isso vai acontecer? Calculando o fato que os ricos ficam cada vez mais rico e os pobres cada vez mais pobre, a primeira opção com certeza não estarei vivo para ver acontecer, e a segunda, vai sonhando.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Querida Encomenda


Após um mês e mais um pouco de espera, chegou a minha encomenda da Amazon. Infelizmente não chegaram todas. Houve um problema no envio de um dos livros e daí deu no que deu. Que pena, logo o que falava sobre a técnica que gostaria de me aperfeiçoar, o desenho vetorial. O nome dele era "Vector Graphics and Illustration". Porem, o que chegou me encheu os olhos por ser tão grande e grosso e so custar US$ 19,76 - visto que o dolar no dia tava por R$ 1,60, saiu +/- por R$ 31,61. Foi muito bom negocio, visto que nas livrarias brasileiras estava entre R$ 81-86,00.

O livro vem trazendo os bons nomes da ilustração atual com diversas técnicas. Visto que chegou neste instante, dei uma olhada rápida para ver se encontrava algum brasileiro. Encontrei um cara chamado Eduardo Recife. Pesquisei na net, realmente ele é brasileiro. Você pode dar uma olhada no portfólio dele aqui e aqui.

Espero que o livro seja uma grande fonte de inspiração para mim, e indico para ti também.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Já Se Decidiu Hoje?


Qual roupa vestir; que tipo de pessoa se sentir atraida(o); que tipo de palavras usar para se expressar. Essas são algumas das questões que nos deparamos diariamente, e corriqueiramente, na maioria das vezes. O que te leva a tomar cada uma dessas decisões? Acha que você decide por si só? Se a resposta for afirmativa, vamos considerar alguns fatos.

Certo antropólogo, qual estamos criando neste exato momento, pôs em duas salas separadas dois homens. Um monge budista em uma sala, e um ocidental "descolado" em outra. A reação foi previsível ao antropólogo colocar um video pornográfico nos televisores que estavam nas salas. O monge virou o rosto em repulsa, o "descolado" gostou e até pensou em imitar um pouquinho consigo mesmo enquanto ninguém estivesse olhando. O antropólogo só confirmou as suas expectativas. Isso já sabia, pois o ocidental "descolado" tem uma educação familiar e social bem diferente. Vamos analiza-las.

O ocidental "descolado" foi criado vendo o seu pai apreciar as belas morenas que passavam nas ruas, e dar uns assobios para elas. Acostumado aos homens da familia perguntar "E a namoradinha?", "Ta pegando quantas garanhão?". Habituado também com as centenas de comerciais com mulheres semi-nuas e centenas cenas de sexo ardente nos filmes. A sua educação em casa, na rua e as influências das amizades corrompedoras deixaram claras as suas marcas.

Já o monge foi criado desde sua infância na religião e de uma forma a respeitar os pudores divinamente colocados em seus devidos lugares. Foi ensinado a controlar sua mente e condiciona-la para coisas mais puras.

Então é isso o que acontece na sua, na minha, na nossa vida. O fato de eu não gostar de um tipo de doce, pode estar ligado a alguma situação, ou série de situações, que não lembremos na nossa infância - isso inclui o estado de bebê - e nos levou a ter repulsa por tal coisa. Você usaria um kimono para ir na reunião de trabalho ao qual o dono daquela empresa multinacional que você trabalha estaria presente? Obviamente o traje adequado seria uma bela roupa social com um blazer ou um paletó, se for um homem. Foi você quem decidiu isso? Não. Antes de você nascer era o que você via, foi o que te ensinaram.

Essa é um minimalíssimo ponto de vista para se observar tal fato. Mas uma coisa é certa, ninguem toma decisões completamente por si só. O que eu faço aqui agora, não é uma novidade. Se não fosse popular escrever em blog, será que eu estaria escrevendo? Para que, para ninguém ler? De que outra forma eu saberia que existe blog se "todo mundo" também não já o usasse?
"Temet Nosce"
'Conhece a ti mesmo'

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Grande Droga

Idéias sempre vem e vão da minha cabeça. Por isso há algum tempo criei uma espécie de "diário" para pôr as epifanias lá e consultar quando quiser criar algo mais complexo. Porém tive uma grande frustação hoje ao assistir a um filme.

De inicio, antes de assistir o tal filme, estava super empolgado, afinal ia assistir ao filme "Thor", uma adaptação dos quadrinhos americanos, e como alguns devem saber, eu AMO quadrinhos. Porem eu não sabia nada da história visto que nunca tinha lido sequer uma edição de Thor.

Assisti, e aí... Pow. Batia de frente com uma daquelas idéias que estava no meu querido livrinho de idéias. Logo a que eu mais gostava... Logo a que eu planejava algo mais serio para ela à frente. Não posso dizer que fui plagiado porque os grandes nomes da Marvel o criou antes mesmo de eu nascer - sendo eles Stan Lee, Larry Lieber e Jack Kirby. O do meio nem é tão conhecido assim.

A unica explicação é que eu possa ter sido influenciado subliminarmente de alguma forma. Só não sei que forma é essa. Ou talvez a explicação seja que os gênios pensam juntos.... Não, não vou tão longe assim. Sei que minha capacidade mental não chega a tanto.

E então fiquem com o trailer desse grande filme que contrasta realidade e ficção fantastica.


domingo, 22 de maio de 2011

Religião É Coisa Seria?

Primeiramente, gostaria de dizer que respeito todas as religiões e seus respectivos membros. Estarei aqui apenas expondo meu ponto de vista, e não tenho como objetivo ofender qualquer membro religioso. Peço desculpas se isso acontecer.

Antigamente pensava que um grupo religioso servia para estimular o raciocínio das pessoas e fazê-las entender o que está escrito nas complexas páginas da bíblia. Mas com um pouco mais de observação percebi que estava enganado.

Primeiro observei que os católicos, eles na maioria das vezes só ficam fazendo orações - antigamente era em latim, que proveito alguém vai tirar de algo dito em um idioma que não entende? Os padres parecem mesmo que não gostam de ensinar, ou não estudam para isso, pois quando alguém não entende algo e vai perguntar para eles e é difícil responder eles dizem: "É um mistério de Deus". O próprio Papa não soube responder o motivo de Deus permitir o sofrimento da humanidade. Sinceramente, se ele lesse mais atentamente a bíblia saberia responder. Até eu mesmo que não sou formado em teologia sei - isso com base no que a própria bíblia informa.

Depois observei os protestantes. A unica coisa que fazem é gritar e dizer que você vai ganhar muito dinheiro se der tudo que tem para "Deus". Na verdade, muitas igrejas parecem mais um circo do que qualquer outra coisa (veja os videos abaixo). Se existe alguma igreja protestante tranquila eu não sei, só sei que tenho a impressão causada pelo que a maioria se mostra.

Creio que isso acontece pelo mesmo motivo que sempre aconteceu desde a idade média. Os líderes religiosos temem perder fieis, e por isso dão o que eles querem e não o que deve ser dado. Se todo mundo quer ficar rico, então eles dizem que Deus vai deixar todo mundo rico. Se todo mundo gosta de festas, então eles fazem padres e pastores virarem cantores, ídolos pop. Ninguém quer ensinar nada a ninguem, muito menos de graça.

Aí vão três vídeos que mostra o que eles ficam fazendo. Ao invés de ensinar o povo, eles alienam para que se tornem mais burros e não vejam que seria melhor eles ficarem em casa assistindo um filminho ou lendo algo interessante.






sábado, 21 de maio de 2011

A Crise das Locadoras




Já foi-se o tempo em que as locadoras davam como frutos diretores de cinema loucos por filmes, tais como Quentin Tarantino. Essa era de ouro das locadoras foi até metade dos anos 90. A partir de 1995 houve uma grande novidade: O DVD. Aqui no Brasil, pelo que me lembro, começou a chegar nas locadoras entre 2000 e 20004. Recordo do pouco espaço que as locadores expunham os DVD's em competição com as fitas VHS.

Com essa revolução, ganhamos melhor audio, imagem e um menu interativo - além de filmagens nos bastidores da produção. Mas perdemos aquelas queridas locadores que recorriamos quando não tinhamos nada programado para aquele final de semana frio e chuvoso. Com a facilidade de copiar os filmes atualmente, e com o baixo preço dos filmes - hoje em dia, um filme que não é laçamento pode custar entre 13 e 9 reais, sem comparação para um filme em VHS - quase ninguém mais procura as locadoras.

No começo elas, as locadoras, apenas diminuiram o numero de lançamentos que compravam, de 3 DVD's de cada título passou para um. Logo após foram forçadas a comprar quase nenhum lançamento e depois, a comprar um lançamento semestral. Muitas, vendo a queda do mercado, já começaram a vender seus filmes quando a quantidade de vezes que ele foi alugado cobrisse o preço da compra. Hoje, muitas já fecharam e outras vendem todos os seus filmes para ganhar algo a mais antes de fecharem.

A saída? Para quem está nas cidades atendidas pelas locadoras online, como Rio, São Paulo, Bahia, Ceará... entre outros, pode alugar com um serviço especial pela internet. Quem nao mora por lá tem que se contentar por assistir online - pago é claro, isso se quiser estar na lei. A pirataria realmente prejudicou esse mercado.

A inovação tecnológica junto com a pirataria trouxeram coisas más e boas - a pirataria mais má do que boa. Mas é assim que acontece, temos que aprender a conviver com a nova forma de viver. Afinal, o sistema está em extrema mutação. É como disse o ícone do cristianismo, "O mundo está passando e assim também o seu desejo".